Por: Cooperativa Integrada

Qui, 19 abr 2018

Mercado de grãos em um momento atípico

Os conflitos comerciais entre os Estados Unidos e a China têm ajudado a manter em alta os preços das commodities agrícolas desde a quebra da safra da Argentina. A informação é do consultor em mercado agrícola e sócio da MB Agro, Alexandre Mendonça de Barros. O especialista esteve nessa quinta-feira, dia 19, na matriz da Integrada para ministrar uma palestra para diretores, gestores e lideranças cooperativistas.

Com o conflito entre os dois países, existe um componente de imprevisibilidade muito alto para o mercado de grãos. Barros comenta que, se houver um recuo no conflito, o valor da soja pode alterar para baixo. Com relação à produção dos líderes mundiais de produção da oleaginosa, dados coletados pela MB Agro apontam uma produção de 38 milhões de toneladas de soja no ciclo 2017/18 na Argentina, 115 milhões de toneladas no Brasil e 120 milhões de toneladas nos Estados Unidos.

Uma simulação realizada para o próximo ciclo (2018/19), em um cenário normal de clima, aponta uma produção de 120 milhões de toneladas de soja nos Estados Unidos, 117 milhões de toneladas no Brasil e 57 milhões de na Argentina. Com esta hipótese, a relação estoque e preço futuro em Chicago ficariam estáveis.

Para a próxima safra verão, há um cenário de El Niño, o que será muito bom para o Sul do Brasil porque o fenômeno trará mais chuvas. Ainda em relação ao clima, para este ciclo de inverno, Barros afirma que o quadro de neutralidade climática previsto para esta época do ano trará chances de geadas no Paraná porque, provavelmente, não haverá bloqueio atmosférico que impeça as massas de ar polar de chegar ao Estado.

Milho

Os atuais preços do milho no mercado nacional atingiram patamares inimagináveis, avalia o consultor da MB Agro. “Mas, se a safrinha vier normal, o preço do milho vai cair”, alerta o especialista. Desde o início do ano o consumo vem caindo devido à crise que afeta o segmento de carnes, que consomem mais de 70% do milho produzido no Brasil.
Por isso, reforça Alexandre, a tendência é de queda no preço. “O cenário do milho só aumentará se houver uma alta no câmbio”, salienta.

Outras notícias

  • Pós-colheita é discutido em evento em Londrina

    Londrina tornou-se nessa semana a capital nacional do pós-colheita com a VII Conferência Brasileira de Pós-colheita (VIICBP2018) e o X Simpósio Paranaense de Pós-Colheita de Grãos. O evento, que conta com a parceria da Associação Brasileira de Pós-Colheita (Abrapós) e a Cooperativa Integrada, discute todo o processo após a colheita de grãos.

    Ler
  • Pós-colheita: Conferência Brasileira e Simpósio começam nesta terça-feira

    Abrapós e Cooperativa Integrada promovem o maior evento de pós-colheita do Brasil

    Ler
  • Guerra comercial

    Entraves comerciais entre EUA e China favorecem soja brasileira

    Ler
  • Cooperativismo cresce no interior de SP

    Santa Cruz do Rio Pardo (SP) ganha nova unidade da Integrada e expande o cooperativismo para novas regiões

    Ler
  • Segunda edição da Agrotec já está confirmada

    Colheita das variedades apresentadas no campo experimental da Integrada na primeira edição do evento apontou soluções que elevam os índices de produtividade dos cooperados

    Ler